Ajude nosso ministério. Compre produtos no Submarino por aqui.

17 março 2009

:: [ ARTIGO ] :: Sobre Blogs e Atalaias.


Basta uma rápida pesquisa nos mais populares sites de busca da internet para encontrarmos um arsenal de blogs e vídeos com textos e imagens impressionantes que tratam de um assunto tão palpitante e atual que são os "modismos" e os “movimentos” dentro do próprio seio das igrejas evangélicas. Este tema parece mexer das mais variadas formas com as mentes de alguns irmãos que, em número crescente, tem se levantado como paladinos da justiça divina. Em sua maioria utilizam-se de “blogs” na internet e neles discorrem sobre os mais variados temas: movimento do “cai-cai”, da unção do riso, unção dos quatro seres viventes, dentes de ouro, palavra profética, louvor profético, coreografia profética, atos proféticos, os movimentos celulares, os “anjos em todo lugar”, e tantos outros movimentos que realmente estão se tornando comuns em muitas denominações. Esses irmãos tem em comum o brado de “Reforma Já” para a igreja evangélica, principalmente a brasileira.

Estes blogs estão se tornando em verdadeiros campos de batalha teológicos entre os próprios cristão evangélicos que se utilizam de seus espaços para comentários ou dos menos usados fóruns de debate. E a briga está ficando cada dia mais acirrada e porque não dizer, mais feia. Se por um lado uns apóiam a iniciativa de alerta por parte destes irmãos blogueiros, deixando palavras de incentivo a que continuem a “batalhar pela fé que uma vez foi deixada aos santos”, por outro são duramente criticados por levantarem esses assuntos publicamente, quando, dizem eles, poderiam estar utilizando os mesmos espaços para a pregação da Palavra de forma mais evangelística e menos depreciativa. É nesse momento que entra a nossa grande dúvida em busca de uma postura mais equilibrada, mais correta e porque não dizer, mais bíblica diante dessa situação tão nova para nós, visto ser trazida pela modernidade dos recursos tecnológicos que, vale a pena frisar, os apóstolos, ou os pais da igreja, ou ainda os grandes avivalistas dos séculos passados não dispunham que é a internet.
È bem compreensível a posição destes últimos tendo em vista que esta internet é uma vitrine sempre disponível a todos os olhares atentos de um mundo cada vez mais plugado e interligado, formado de ateus, críticos da Bíblia, liberais, fundamentalistas, pentecostais, conservadores, enfim, e todos ansiosos para exporem suas opiniões, todos certamente em busca de apoio para a forma que pensam. Nesse momento, antes de qualquer conclusão, temos uma referência bíblica em que nos lembramos das palavras de Abraão a Ló, seu sobrinho, que ao perceber que ainda estavam diante dos cananeus e dos perizeus, disse: – “Nós somos parentes chegados, e não é bom que a gente fique brigando, nem que os meus empregados briguem com os seus” (Gn 13:7,8). Creio que este é um alerta muito válido e pertinente sobre o erro que há em discutir assuntos tão íntimos e relativos apenas ao Corpo de Cristo estando diante de descrentes e ímpios que não compartilham da nossa fé e não entendem os porquês e as implicações destas discussões eclesiásticas e teológicas. Desta forma, entende-se perfeitamente bem aqueles que criticam a existência e a abordagem destes blogs.

Mas também é compreensível a posição daqueles primeiros, os quais alegam estar servindo ao bem da comunidade evangélica e à Igreja ao alertarem sobre os erros e os perigos que surgem em nossos dias através destes modismos, que quase sempre nascem de forma subjetiva, como por exemplo de uma simples afirmação veterotestamentária de que “os sacerdotes não puderam ficar de pé diante da glória de Deus” (IICr 5:14), partindo para um costume no mínimo confuso, sem base neotestamentária e que tira toda igreja da ordem e da decência necessárias ao culto cristão (ICo 14:40), e isso para citar apenas um exemplo. Em referência a estes podemos citar o texto de Ezequiel que diz: “Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; quando ouvires uma palavra da minha boca, avisá-los-ás da minha parte... se tu avisares o justo, para que o justo não peque, e ele não pecar, certamente viverá, porque recebeu o aviso; e tu livraste a tua alma (Ez 3:20,21).

Quisera eu estar neste momento apresentado uma solução ou trazendo uma resposta conciliadora para a questão. Mas trata-se de algo muito novo e também muito complexo, e por isso mesmo, é necessário ainda analisar alguns outros fatores que nos permitam ver até onde vai toda essa discussão e quais são suas prováveis conseqüências, o que talvez, infelizmente, só o tempo revelará. Oremos para que não seja tarde!

De qualquer maneira, vale lembrar que em todas as situações os filhos de Deus devem ser sábios, prudentes, equilibrados, respeitando e honrando uns aos outros, não buscando seu interesse próprio, não se ensoberbecendo, considerando o outro superior a si mesmo, seja em casa, na igreja, no trabalho, na escola ou mesmo no vasto campo da internet. E jamais esquecer que os verdadeiros discípulos de Cristo são conhecidos pelo amor com que se amam. Esse é o testemunho que o mundo necessita ver, essa é a mensagem que traduz o amor de Deus e alcança vidas para o Reino. Por fim, aconselho aos blogueiros e seus usuários que utilizem a internet sem jamais perder o olhar daquele que foi, é e sempre será nosso Grande Mestre e modelo, manso e humilde de coração.

Pastor Gervario Sousa
Teófilo Otoni - MG

www.pastorgervario.blogspot.com
www.ibagape.com.br

2 comentários:

O PENSADOR disse...

...manso e humilde de coração com aqueles que não conheciam a Palavra, basta lembra da atitude de Cristo com os fariseus, doutores da Palavra.
Ainda assim, temos Paulo discorrendo a Tito, " É preciso fazê-los calar, porque andam pervertendo casas inteiras, ensinando o que não devem, por torpe ganância." Tt 1.11
E o versículo não fica fora de contexto dentro da atual situação.

A Única saída para tal situação é o retorno ao Cristianismo Bíblico, o que apaziguaria ambos os lados, ou ainda, o arrebatamento que cessaria qualquer discurso...

Pastor Gervario disse...

Obrigado pelo comentário. "Tentei" ser imparcial no artigo mas concordo plenamente com você. Deus abençoe!

... ...