Ajude nosso ministério. Compre produtos no Submarino por aqui.

26 maio 2008

:: [ ARTIGO ] :: Um olhar sobre "filmes" e a criação evangélica no Brasil.

Pensei em escrever já há algum tempo sobre filmes, afinal sou um cinéfilo de carteirinha. Mas o que escrever sobre isso? Ultimamente tenho assistido algumas películas que me chamaram atenção especial. Um é evangélico e o outro, contrapondo ao primeiro, um filme de terror/suspense feito na Espanha.

O primeiro é o ótimo "DESAFIANDO GIGANTES", onde um treinador de futebol americano meio que fracassado entrega sua vida a Jesus e vê sua situação difícil ser mudada. Achei esse filme fantástico na forma que ele vai conduzindo o espectador à grandeza de Deus e faz-nos vibrar com a vitória do time, entre outras coisas.

Já o segundo filme é "O ORFANATO", que mostra uma mulher cujo o filho começa a ter amigos imaginários que acabam por influenciar em toda a trama. Ela volta para o orfanato onde viveu com 6 crianças. Lá começam a acontecer coisas sobrenaturais que resultam no desaparecimento do filho dela. Um final triste e supreendente. Mas o que me chamou a atenção para assisti-lo foi o fato de ser espanhol. Será que a espanha sabe fazer filme assim? Indaguei-me. O interessante é que depois de assistir esse filme descobri que eles sabem. Não vou entrar em detalhes sobre o filme, ainda mais que acontece coisas que não acredito, como mortos voltarem para influenciar na vida dos vivos (isso é antibíblico). Porém, mais uma vez resurgiu a pergunta em minha cabeça: POR QUE OS BRASILEIROS NÃO FAZEM UM FILME INTERESSANTE, QUE CHAME A ATENÇÃO DAS PESSOAS?

O filme nacional que mais me chamou a atenção foi "CIDADE DE DEUS". E olha que o filme não era "essa coca-cola toda" como se fala na imprensa. Assisti muitos filmes americanos que não necessitaram de efeitos especiais e sim apenas de uma boa trama. Por que os brasileiros não podem produzir um enredo decente, sem palavrões e que termine bem no final (pra variar um pouco). Isso eu ainda pago pra ver um dia.

Agora puxando pra nós evangélicos...

Parece que os cristãos brasileiros estão de braços cruzados (e colados junto ao corpo) para as produções televisivas e cinematográficas. Não vi um sequer (a não ser duas produções pequenas - um deles feito por uma equipe que produziu um curta metragem de uma obra do meu amigo Rogério Cericatto; a outra eu nem me lembro do nome, mas tem como protagonista uma ex-atriz global convertida.) que tivesse uma boa repercussão entre os evangélicos brasileiros. Creio que livros e e-books de ficção com enredos no mínimo razoáveis é o que não faltam nas livrarias e internet.

Nessa hora eu me pergunto: onde estão as produtoras evangélicas desse país? MK, Diante do Trono, RIT, Record (que se diz de propiedade de uma igreja evangélica. Eu pasmo com isso.) e outras que nem sei o nome... Estão de olhos fechados para um instrumento poderoso: o audiovisual.

Filmes, seriados, novelas poderiam ser produzidos para atrair os olhares desse povo para Deus, seus propósitos, ensinamentos, desejo (que todos sejam salvos).
Mas ao invés disso só vemos clipes, programas de igrejas (glória a Deus por eles), e novelas em emissora cristã que não agrada a Deus (com certeza).

Li um versículo que diz: "porque os filhos deste mundo são mais sagazes para com a sua geração do que os filhos da luz." (Lucas 16:8b)

No Brasil infelizmente isso é visível no campo audiovisual. Os filhos do mundo tem inundado as mentes com suas mensagens por meio principalemente das novelas. Enquanto isso o povo de Deus está dormindo ao invés de estar produzindo para contrapor as obras do maligno.

Acorda meu povo! Povo de Deus!
Basta de contarmos apenas com músicas e pregações. Vamos inovar. Certamente se as produtoras evangélicas brasileiras fizessem uma pesquisa de material para a realizações de um projeto como série ou mini-série, novela, filme, se surpreenderiam com a quantidade de boas idéias que se tem por aí.

Nos EUA têm de sobra; no Brasil basta procurar que certamente se encontra.

Naasom A. Sousa
letrassantas@hotmail.com
26/05/2008.

5 comentários:

Anônimo disse...

Adorei seu post!

Pessoal, essa eu tenho que recomendar, dois sites interessantíssimos: www.meus3desejos.com.br e www.videoflix.com.br.

Abs.

Gabri 2007 disse...

Amado irmão Naasom, concordo plenamente com tudo o que você falou. Realmente não temos opções em filmes, o que vemos no cinema nacional: sexo, droga e violência.
Dizem que nós os evangélicos somos uma multidão, porque não aproveitar "com inteligência e respeito", esse filão? Como o irmão diz: só temos música e pregação. Porque não fazer bons filmes?
Vi "Desafiando Gigantes", simplesmente maravilhoso, simples mas com conteúdo divino. Para as igrejas evangelizarem não tem produto melhor.
Que o Nosso DEUS ilumine as pessoas certas, para que nos traga bons filmes.
DEUS o abençoe.
Robson Gabri
robsongabri@hotmail.com

Linolica disse...

Naasom... Mais uma vez gostei muito do seu artigo. É bem por aí mesmo. É esse o mesmo sentimento que tenho ao ir ao cinema e assistir um filme nacional. Gosto de filmes americanos. Os caras são bons. Assisti Desafiando gigantes e gostei muito e um filme que recomendo... antigoooo, mas é um dos meus prediletos é O Advogado do Diabo. Mas... voltando ao artigo, novamente me vez lembrar de Tais Bressane (numa palestra sobre educacao) falando sobre a TV brasileira na década de 60 no Brasil, onde os educadores a desprezaram e outros a assumiram e deu no que deu, enquanto ela dizia isso, me lembrava da igreja. Ela tem rejeitado tudo o que é arte. TV, cinema, teatro, literatura. E pessoas que nascem com seus dons acabam morrendo sem usá-los, porque é proibido, é coisa mundana. Gente... vamos parar com isso! ACORDA IGREJA BRASILEIRA!!! Vamos ser sal da terra e luz do mundo e nao sal no saleiro!
Valeu Nassom pelo artigo!
Lina Linólica
www.freewebs.com/linolica

Naasom A. Sousa disse...

"Vamos ser sal da terra e luz do mundo e nao sal no saleiro!"

Nossa, Lina, essa frase resume tudo. Temos que arregassar as mangas e tomar os meios de comunicação através de uma arte voltada para o Reino.
Grande abraço.

Juber Donizete Gonçalves disse...

Irmão Naasom,

Parabéns pelo artigo e pelo tema levantado. Concordo que realmente precisamos de filmes e produções que tenham algo a dizer ao mundo. Eu vejo as pessoas, às vezes só criticando as produções norte-americanas, mas tem que recohecer que eles são mestres na arte de filmes. Filmes como "Carruagens de Fogo", carregam uma linda mensagem. E o que dizer da "ressurreição de C.S.Lewis" através dos filmes sobre as Crônicas de Nárnia? Eu particularmente, gosto de filmes, mas não vejo qualquer produção.

Graça e Paz,

Juber

... ...